segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

"Senhor...que eu veja..."

"Que queres que eu te faça"? (Evangelho de S.Lucas 18:41)



Já brinquei de ser cego...fechar os olhos e sair andando...
Não demorava muito, porém, pra desistir da brincadeira.

O dom da vista é maravilhoso...poder enxergar as belezas da terra em todas as suas formas e variedades.

Nos sentimos vivos quando vemos o belo e nos transtornamos quando vemos a realidade...

A realidade das ruas, das vielas, das encruzilhadas no horizonte.

Nossos olhos nãos nos brindam só com o que dá prazer, somos convidados a processar imagens angustiantes e, pra nosso desespero, elas parecem onipresentes.

Pra onde olhamos vemos dor, sofrimento, injustiça, enfim, o caos estabelecido.

Tenho me fartado dessas imagens ultimamente...mas não sou um masoquista, simplesmente me dei conta de que via sem enxergar.

Percebi que o outro passou a significar mais para mim...que minha dor é nada diante da dele. Passei a valorizar as relações e me aprofundar nelas. Cansei de viver mecanicamente como um soldadinho de chumbo que marcha ao tilintar sedutor das moedas...

Falando nisso, Bartimeu, pobre Bartimeu...esmolava na Palestina dos tempos de Cristo, até que a sorte lhe sorriu...era seu dia de glória. Jesus estava no seu caminho...tamanha sorte não se desperdiça e lá vai o cego, nem aí para ninguém, tropeçando e gritando feito louco: "Jesus, Filho de Davi, tem misericórdia de mim".

O Mestre o acode e fulmina: "Que queres que eu te faça?"

Por absurda que pareça a pergunta, Jesus sabia bem as implicações de enxergar..."às vezes é melhor ser cego".

"Senhor, que eu veja", responde o mendigo.

Não raro,  habitamos a escuridão de nossas almas...lugar sombrio, gélido e solitário. Nos habituamos à caverna de tal forma que a luz nos agride. Acostumamos a não ver ou escolher o que vamos enxergar dentre o que vemos. Nisso, muitos outros tem se tornado invisíveis para nós.

Hoje tenho medo de ter a escuridão que me protege os olhos dissipada...

Deus, entretanto, não me tem aliviado. "Se vieste para a Luz, tua alma terá que ser iluminada"

Tenho sido convocado dia após dia a encarar o caos, as mazelas do mundo e não só suas belezas e, ainda assim, guardar a fé.

Sofro com as imagens que me chegam via satélite diariamente, ou que se materializam nos teclados que digito.

O choro é inevitável e lubrificam meus olhos, de forma que vejo ainda mais nitidamente. Chorar nessa horas é bom...revela que ainda há vida num coração que se imaginava desertificado.

Me aproprio da fala de Bartimeu  neste melancólico devaneio para dizer:

"Senhor que eu veja, que eu veja para enxergar, mas me dê graça para suportar e forças para agir".

3 comentários:

  1. Marcello
    Muito bom seu texto!
    Reflita:
    Uma das coisas que Deus faz com aqueles a quem Ele quer usar...é abrir os olhos para que o homem enxergue e a segunda é o toque do espirito santo te convidando a fazer algo.
    Aproveite esse momento e diga " Eis me aqui Senhor que queres que eu faça por meu semelhante, usa-me!
    Que Deus te abençoe e te dê forças para tal!

    ResponderExcluir
  2. Olá desejo que o Senhor continue abençoando este trabalho. abraços fique na paz do Senhor Jesus.
    www.mensagensedificantes.com

    ResponderExcluir
  3. Ana e Gabi...obrigado por me visitarem nesse cantinho de mim, com palavras de encorajamento e de amizade. Deus lhes abençoe com toda sorte de bençãos.

    ResponderExcluir